18 de jan de 2010

LEVITA, O GUERREIRO QUE PROTEGE

Existem muitos levitas, não somente pelo Brasil, que dizem ser levita, porém não exercem a metade do oficio designado pela bíblia para eles. O ministério levítico vai alem do altar, porque o que Deus tem para os levitas também esta alem do altar, por isso Ele nos pede para irmos além, pois quando vamos além, conseguimos conquistar muito mais. Conquistas é uma palavra que está intimamente ligada à tribo dos levitas, pois levita não descansa enquanto não ver o seu território conquistado e a profecia cumprida.
A palavra levita originou-se de uma das tribos de Israel, a tribo de Levi. Levi foi terceiro filho de Jacó, e o número três além de apontar para um novo começo aponta também para a trindade (Pai, Filho e Espírito Santo), Deus sempre terá um novo começo para os levitas não importa o que aconteceu, o que importa é o que você fará com a unção que Ele colocou sobre você a partir de agora.
O nome Levi tem um significado muito especial: UNIDADE. Não tinha nome melhor para Jacó dar ao filho que representava a trindade! O ministério levítico é responsável pela voz profética da unidade dentro da igreja. Quando o ministério é unido reflete na igreja, pois a igreja é ministrada através da união dos levitas e o Espírito santo se move. Afinal Jesus disse que onde estiver dois ou mais reunidos no nome dEle, ali Ele estaria. Para haver presença de Jesus no local, mover do Espírito, curas, restaurações, transformações, sinais e muito mais, é necessário haver uma união, precisamos estar unidos, e essa união começa do altar para a igreja.
A união dos levitas te um objetivo: unidos para conquistar novos territórios. E é impossível pensar em conquistas sem pensar em guerra. Não é somente ter unidade para conquistar, é ter unidade em guerra para conquistar, pois conquistas são vitórias de guerras. Então podemos dizer que a tribo de levitas é a tribo da união, porém, para honrarmos esse nome que há sobre nós não é fácil, para se ter união, é uma guerra. Satanás não quer união entre nós, pois quando somos unidos, conseguimos viver a palavra de Efésios 6:12, focalizamos o nosso alvo de guerra em satanás e suas estratégias e paramos de lutar contra carne e sangue, contra nossos irmãos. O principal alvo do diabo é fazer você se desentender com alguém dentro de sua equipe ministerial, ter problemas de relacionamentos, porque quando isso acontece, nós tiramos o foco da guerra espiritual (no diabo) e colocamos o foco da nossa guerra em pessoas, e quando fazemos isso deixamos o caminho livre para satanás agir como ele quer. Precisamos resgatar o principio da unidade em nossos ministérios, pois a igreja às vezes sofre por falta de maturidade da equipe levítica.
Em Gênesis 34:25-29, vemos uma historia fantástica que aconteceu com os filhos de Jacó. Diná, irmã de Levi havia sido desonrada, violentamente estuprada por Siquém, governador daquela região, e levada para sua casa. A bíblia narra que Levi uniu-se a Simeão, seu irmão, e juntos tomaram da espada e atacaram a cidade de Siquém totalmente desprevenida matando todos os homens que nela havia. Inclusive Siquém e seu pai Hamor. Simeão e Levi recuperaram sua irmã Diná, Saquearam a cidade apoderaram-se dos bois, ovelhas, jumentos, todo fruto do campo e todos os bens que havia na cidade.
Bem, o primeiro ponto que gostaria de ressaltar nessa historia é que o levita sempre estará disposto a entrar em qualquer guerra a fim de proteger o seu irmão e nunca desonrá-lo. Levi não havia aceitado a desonra que sua irmã estava sofrendo e foi protegê-la. Assim é o levita, não permite que ninguém toque em seu irmão, e quando toca é guerra! Proteja seu irmão, nunca o desonre e nem deixe ninguém desonrá-lo.
Em segundo lugar, Levi não estava sozinho, estava acompanhado de seu irmão Simeão na operação Diná. Simeão significa atencioso, aquele que ouve. Um levita nunca anda sozinho, sempre terá um atencioso consigo para ajudá-lo, para mim, a tradução de amigo seria Simeão (atencioso). Porém é necessário cuidado com esses atenciosos que nem sempre trazem honra para nós, afinal o levita nunca anda sozinho, seja na guerra para proteção, seja na rebelião contra seus lideres. É raro um levita desviar ou sair do propósito sozinho, na maioria das vezes carrega alguém. Cuidado com as companhias!
Em terceiro lugar, Simeão e Levi atacaram a cidade de Siquém, porém estava desprevenida. Um levita sempre terá uma estratégia contra seu inimigo e prosperará. Naquela época onde as guerras por tomadas de territórios eram constantes, seria um pouco difícil achar alguma cidade desprevenida de vigias e sentinelas. Mas a bíblia relata que Simeão e Levi tiveram uma estratégia e atacaram a cidade desprevenida. Assim será na sua vida Deus trará sobre os levitas do Brasil uma unção de sabedoria e estratégias em guerra, e o tempo da desonra ministerial esta com seus dias contados. Deus te levanta como um guerreiro para proteger seu chamado.
E em quarto lugar, os irmãos matam o inimigo (Siquém, o estuprador) e resgatam Diná do terreno do inimigo. A chamada do levita é de nunca deixar seu irmão longe de casa, longe do altar de Deus. Aconteça o que acontecer, o levita toma da espada, mata o inimigo, e resgata seu irmão da desonra trazendo de volta para a casa do Pai.
Assim como está escrito em Eclesiastes 4:12, o ministério levítico também é como um cordão de três dobras, que do original traduz-se: nunca pode ser quebrado. Isso é uma aliança, e como em toda aliança, se você a honra, você receberá honra dobrada da aliança. A palavra Levi aponta também para o elo perfeito que não tem começo nem fim. O chamado levítico não é passageiro, afinal o chamado vem de Deus, e o que vem de Deus não é passageiro, permanece para sempre.
Que o Senhor te abençoe com honra e te faça permanecer inabalável no chamado que Ele tem para sua vida!


Thiago Oliveira Martins

Líder do ministério de dança Projeto Vida

Terra do Avivamento


Nenhum comentário:

Seguidores