29 de mai de 2009

UM CASO DE MAL OLHAR COLETIVO


O OLHAR HUMANO ESTÁ ACABANDO COM O MUNDO...
Quando Jesus disse que os olhos são as lâmpadas do corpo, Ele estava também dizendo que o bom olhar muda a realidade de contingência físico-temporal, para a dimensão da sensorialidade serena, embora os fatos do conjunto do real possam ser ruins aos nossos “sentidos coletivos”.
O olhar muda em nós o significado do objeto que se observa, fazendo dele nossa vítima ou nosso irmão. Ao se olhar para uma pedra se pode ver apenas um conjunto de massa; ou uma obra de arte natural, para uns; ou obra divina na natureza, para outros.
A pedra, no entanto, muda conforme o olhar, ainda que não se altere ante a grotesca observação do globo ocular. Todas as coisas existem no coração de quem as vê, e conforme as vê. Do lado de fora existem fenômenos altamente mutantes ante a perspectiva dos olhares.
Mesmo a realidade mais esmagadora, ainda assim é vista de modo distinto dependendo do olhar.
Uma pessoa lê no Apocalipse que as estrelas cairão do céu, que coisas chocantes como montanhas estelares se chocarão com a Terra, e que toda sorte de male sobrevirão, e, dependendo de seu olhar, ele verá o fim da civilização humana, ou, poderá ver novo céu e nova terra nos quais habita a justiça. O olhar é a visão do espírito. E, ao mesmo tempo, é a projeção do espírito humano sobre as coisas.
Ora, o espírito atua sobre todas as coisas, das partículas subatômicas às galáxias e buracos negros. É o conjunto do olhar humano ou dos olhares das criaturas capazes de interpretar, aquilo que constitui a realidade como fenômeno comum do ponto de vista físico.
É o olhar do homem projetado sobre o mundo, a Terra, o Universo, e sobre Deus, aquilo que cria a realidade prevalente na experiência comum da humanidade.
A natureza geme mesmo, e sente muito mais o que está acontecendo ao conjunto da realidade do que os homens sequer conseguem discernir em si mesmos.
Como disse o profeta Oséias, as ações de ódio, de engano e traição, de roubos e raptos, de arrombamentos e de tirania, de hipocrisia e de manipulação, faziam a natureza sofrer com a dessintonia humana, a ponto de serem atingidas as criaturas que voam, as que vivem no chão, e as que povoam as águas [Oséias 4:1-9].
O mundo reflete exatamente a soma do olhar humano.

Você pode ver o mundo com um olhar de luz em razão do amor; o mundo, porém, será moldado pela soma dos olhares prevalentes. Apesar disso, o seu mundo pode ser outro dentro de você. E se a maioria tivesse um mundo interior governado pelo olhar do amor como você, então, a realidade toda se faria moldar conforme a prevalência dos olhares do amor.
O mundo é feito de olhares, os quais são também pensamentos. Pensamentos fazem a ponte entre o olhar e a construção do olhar como algo transmissível como impressão da realidade.
O olhar é olhar mesmo no cego. Esse olhar é espírito. Esse olhar é inevitável. Esse olhar é o ser e sua manifestação como interprete da vida e legislador de pensamentos que se tornarão em atitudes que se expressarão como atos e ações.
Por isso Jesus disse que quando aquilo que deveria ser a luz do homem [o seu olhar em amor e gratidão] torna-se treva e lixo, o ser do homem se torna um movimento de treva e de poluição sobre a Terra.
Não existe mudança da realidade sem mudança do olhar humano. Por isso não adianta converter um homem de uma religião para outra e de um deus para outro, se seu olhar essencial não for alterado pelo olhar de amor e fé.
Coisas que um dia foram ruins, porém, em razão de certo olhar-sentir foram experimentadas como boas, podem [em sendo mudado o olhar do observador acerca de tais experiências anteriores] reaparecer ante seus olhos como realidade inaceitável, mesmo que de fato, agora, as coisas ou pessoas, já não sejam as mesmas, pois tenham ficado melhores do que antes, quando eram apreciadas como “boas”. E assim será porque um olhar fixado desde um tempo ruim e de frustração, já não consegue ver que nós não mudamos nosso olhar, mas o “objeto” de nosso olhar imutável mudou; e, assim, está sendo visto como de fato já não é. Mas para aquele que pensa ver, a coisa ou pessoa é conforme o seu olhar.
É por isso que tenho que dizer que o olhar humano está matando a vida. Pois, o olhar do homem é mais de morte do que de vida. O medo da morte não o deixa ver a vida senão como um tempo de saque em razão da imutabilidade do fato da morte.
O olhar que é luz, é capaz de enxergar sem deixar de crer quando vê o fruto do arrependimento ou apenas em razão de que o olhar da vida sempre vê vida em tudo, portanto, vivificando até mesmo a experiência do morrer.
O olhar que é luz no ser, vence as antipatias, e passa ver o antagonismo ignorante com muita misericórdia, e a oposição inimiga, desarmada pela desimportância que dermos às suas loucas propostas de guerra e morte.
Quando Jesus disse aos discípulos que ao entrarem numa casa devem abençoar com paz o lugar a fim de verem quem é “filho da paz” no lugar, Ele estava falando a mesma coisa. Ou seja: que os filhos do olhar de luz sempre se reconhecem.
É a soma desses olhares de homens gente boa de Deus aquilo que hoje, pela força do Espírito da Graça, detém o crescimento avassalador do mal na Terra. Porém, como a iniqüidade se multiplica nos olhares, o amor de muitos esfria no olhar de outros muitos, e que antes viam a vida com o olhar da vida, que é amor.

Pense: aos seus olhos como é a vida? O que você vê? Como você vê?

Afinal, não adianta reclamar do mau no mundo se seus olhos não forem bons.

Nenhum comentário:

Seguidores