11 de mai de 2009

SEM JUÍZO, MAS COM BOM SENSO!...


Quando Jesus disse para que não julgássemos, dizia Ele que não poderíamos exercer discernimento? Na realidade Ele disse também:
“Não julgueis segundo a aparência, mas segundo a reta justiça”.
Entretanto, pergunto: E o que é a reta justiça? Quem estabelece seu padrão?
A resposta somente pode ser uma. A reta justiça, que nunca se impressionou com aparências ou estereótipos, é apenas a de Jesus. Ele podia julgar, mas disse: “Eu a ninguém julgo!”
Porém, dizia também: “Meu Pai é quem vos julga. Conforme ouço Dele eu falo!”
Todavia, dizia: “O Filho do homem não veio para julgar, mas para salvar o mundo”.
Ora, onde ficamos nós em tudo isto? Ficamos como aqueles que julgam para si mesmos, não para os outros; e que andam conforme a reta justiça de Jesus; sem, porém, julgarmos que com nossos próprios olhos possamos discernir as verdades dos corações; e, por isto, acautelando-nos conforme o bom senso mande que acautelemo-nos; não jogando perolas aos porcos, na mesma medida em que não decidindo jamais o destino de ninguém, nem sentenciando ninguém, nem infernizando ninguém; mostrando nossa própria opinião apenas pelo nosso modo de andar e de escolher para nós mesmos.
No mais, toda denuncia deve ser conceitual, e não deve mandar ninguém para o inferno.
Como tenho dito:
"Quem manda muito para o inferno, em geral já é residente ou trabalha como agente imobiliário do diabo!"

Nenhum comentário:

Seguidores